Janeiro Branco alerta para a importância de debater e difundir o conceito de saúde mental

Simbolicamente, o mês de janeiro marca um recomeço. É nesse período que muita gente recarrega as baterias para cumprir as promessas de Ano Novo e renovam-se os planos e os projetos em busca da felicidade, realizações, conquistas, de tornar, enfim, a vida “menos pesada”.

Um grupo de psicólogos de Uberlândia (MG) criou o “Janeiro Branco”, uma campanha que aproveita o momento de reflexão e estimula as pessoas a pensarem sobre o destino de suas vidas, valorizando as emoções e dando espaço legítimo a elas.

Como os números de dependentes químicos, pessoas com depressão e ansiedade têm aumentado bastante, essa campanha alerta para a prevenção de transtornos e busca promover a chamada “psicoeducação”, que privilegia a saúde mental e auxilia as pessoas a se observarem, a respeitar os outros e a desenvolver relações humanas mais saudáveis – uma questão de necessidade e saúde pública. A escolha da cor branca como símbolo é justamente uma forma de incentivar a criação de uma cultura nacional de valorização da subjetividade humana, de forma que possamos combater estereótipos que ainda cercam e prejudicam a saúde mental. Os exemplos são muitos: gordofobia, homofobia, preconceito racial, religioso…