Sociedade Brasileira de Pediatria se opõe à aplicação de vacinas em farmácias

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou nesta sexta-feira (15) uma nota em que alerta sobre os riscos da vacinação em farmácias e se opõe à nova medida aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que liberou a aplicação nesses estabelecimentos. A medida deve ser oficializada nos próximos dias no Diário Oficial da União.

Os pediatras da entidade avaliam que “o acesso às vacinas deve ser criterioso”. A SBP diz que farmácias e drogarias não contam com estrutura física e recursos humanos para realizar os procedimentos. Argumentam, ainda, que não existem médicos para diagnosticar eventos adversos durante a aplicação.

Outro ponto levantado é que, após esses possíveis eventos adversos, apenas os médicos podem tratá-los. Os pediatras dizem que as farmácias costumam funcionar nas proximidades de postos de saúde e hospitais, e que por isso “não se justifica autorizar esses estabelecimentos”.