Aconteceu novo tiroteio na Favela da Rocinha, no Rio, nesse sábado.

Na tarde desta sexta (22), a favela foi cercada pelas Forças Armadas após cinco dias de operações policiais, guerra entre facções e tiroteios que provocaram uma nova onda de pânico no Rio.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que a favela estava “pacificada”. Após uma noite relativamente tranquila, um novo tiroteio foi ouvido na madrugada deste sábado (23) na favela da Rocinha, zona sul do Rio.

Os militares foram destacados para atuar por tempo indeterminado no patrulhamento dos acessos à comunidade  e parte deles chegou a entrar em pontos da Rocinha considerados estratégicos.O contingente de 950 militares foi anunciado pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, depois de semana de troca de farpas com a gestão Luiz Fernando Pezão (PMDB) -e críticas à falta de ações conjuntas contra a violência.

Na manhã deste sábado (23), a Polícia Militar informou ao UOL a apreensão pelo Bope (Batalhão de Operações Especiais) de cinco fuzis. As armas foram apreendidas após criminosos em um táxi entrarem em confronto com os policiais.