Governador da PB critica tratamento do governo Temer: 'Não queremos um centavo'

Presente no 7º Encontro de Governadores do Nordeste, o chefe do Executivo da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), classificou o evento como fundamental para o Brasil, que ele acredita estar parado há dois anos. Uma das maiores reivindicações na pauta do evento é quanto a liberação de créditos a que os Estados têm direito – acordo firmado um ano atrás. "Isso não é uma crítica pessoal a quem quer que seja, mas é a expressão do direito que nós, os governadores, temos o dever de fazer, para poder retomar no mínimo nível de crescimento que passa pela expressão do poder público", ressalta Coutinho.

Em coletiva, o socialista lamentou o tratamento recebido pelo governo federal. Para ele, a União não tem atendido a necessidade de investimentos públicos dos Estados para tirar o país do quadro de recessão.

“Na federação brasileira, isso só é possível com o aval porque nós não queremos um centavo do governo federal, nós queremos o aval para os Estados contraírem financiamentos e, a partir disso, promoverem os investimentos para o desenvolvimento necessário", pontua.

Quanto à sugestão de Previdência complementar, principal tópico do evento, Coutinho afirma que é uma solução a longo prazo para a região. De acordo com o governador, o déficit do setor na Paraíba é de R$ 95 milhões.