Jovem que morreu na cidade de Pau dos Ferros usou redes sociais no dia de sua morte

A morte é um evento muito misterioso e cheio de surpresas. Ela gosta de pregar peças e torar pelo meio do caminho muitas das nossas vontades e desejos.

Às vezes – e isso não é muito raro – quando pensamos em realizar algo que não depende apenas da limitada capacidade humana, esquecemo-nos de usar a famosa expressão “se Deus quiser” e, talvez por vergonha ou por minimizá-Lo em nossas vidas, achamos que podemos fazer tudo ao nosso bel prazer, sem, ao menos, lembrarmos que nossos destinos têm um dono que nos observa ainda no ventre das nossas mães, como disse o Salmista Davi.

A jovem micaelense, Fátima Barbosa, "Fatinha" ou, simplesmente, “Fah”, estava cheia de planos para este fatídico sábado, 17. Mas, como a Bíblia nos exorta a não ficarmos ansiosos quanto ao dia de amanhã (ou as horas seguintes), ela não imaginava que seus projetos para a noite de ontem seriam interrompidos por um acidente doméstico.

Ela, que parecia está muito bem, alegre e feliz, intencionava prestigiar uma festa com a Banda Inala no município de Rafael Fernandes e afirmou que o “Sabadão vai ser um estouro”.

“Fah” tinha usado a ferramenta facebook das redes sociais e escreveu: “Sabadão vaai seer Estouro ' ( yn', às 12h10. Antes, porém, às 11h13, ela digitou: “Mas Tarde Rafael Fernandes ( Inala ) Ihuuuuuul'”.

Pelo que pude observar, a última postagem de Fátima Barbosa, pelo menos no Facebook, possivelmente foi às 14h06min, deste sábado, dia 17: “ - Se for pra viir,me fazer acostumar com suas maninas e costumes & logo após ir embora da minha viida,Por Favor ...não chega neem perto !”

O intrigante nessa história toda, é que Fátima Barbosa (“Fah”), viajou 42 km de São Miguel para Pau dos Ferros, enfrentando as inúmeras curvas sinuosas e os abismos da serra – como fazia com certa periodicidade - e, de forma inexplicável, acabou morrendo deitada numa rede na área de serviços duma residência (um local improvável e insuspeito), atingida na cabeça por uma pilastra. É a vida. É a morte e seus mistérios!

Fonte: Blog do Capote